(84) 98867-6113

No Banner to display

Embrapa apresenta programação de pesquisa e soluções tecnológicas em comissões temáticas da CNA

Pesquisadores e gestores da Embrapa se reuniram com a Comissão Nacional de Cereais, Fibras e Oleaginosas, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), por videoconferência, na terça (20), para debater tecnologias para a produção de grãos no país e a programação de pesquisa da Empresa.

Os representantes das federações estaduais de agricultura e produtores rurais assistiram a apresentações sobre o desenvolvimento de inovações, linhas de pesquisa e novas cultivares para os agricultores.

Alcido Elenor Wander, pesquisador da Embrapa Arroz e Feijão, destacou as principais linhas de pesquisa e as soluções tecnológicas para o cultivo de feijão, sustentado, segundo ele, em três pilares: produção de bioinsumos, sustentabilidade dos sistemas produtivos e cultivares de qualidade de grãos com características agronômicas superiores.

“O futuro do agro será mais biológico do que hoje”, explicou o especialista, que apresentou aos participantes o conjunto de cultivares de feijão que a Embrapa tem hoje disponível para o produtor rural, bem como as pesquisas com edição gênica, transgenia e com marcadores moleculares.

A expansão da produção do trigo no Brasil, os desafios do setor, as cultivares disponibilizadas para o agricultor foram destaques na participação de Osvaldo Vasconcelos Vieira, chefe da Embrapa Trigo. “Nosso foco são as pesquisas com trigo, especialmente para produção de farinha e pão. Nosso desafio é gerar soluções tecnológicas que ofereçam mais renda e menor risco ao produtor”, ressaltou. Ele falou também sobre as pesquisas com os cereais triticale, aveia preta, centeio e cevada.

“Atendemos o Brasil inteiro e nossa intenção é contribuir para as cadeias produtivas. Mais de 90% do trigo que abastece o país vem do centro- sul, mas o grande desafio é o trigo tropical, cultivado entre as regiões de Goiânia e Brasília, onde já há uma condição muito boa de cultivares e tecnologias, e, agora, o trigo no Ceará, que enxergamos como uma grande oportunidade”, detalhou Osvaldo Vasconcelos.

“Só conseguimos gerar tecnologias e conhecimentos a partir da nossa integração com as cadeias produtivas e o setor produtivo”, acrescentou. A Embrapa Trigo mantém mais de 100 contratos nacionais e internacionais com a iniciativa privada.

Fonte: Embrapa

Postado em 26 de outubro de 2020

No Banner to display