(84) 99828-4059
Detran - FEv-22

Empresas públicas e privadas discutem o uso de drones na pulverização e no controle biológico da lavoura

Um encontro na próxima terça-feira (21) vai reunir diversos especialistas de instituições públicas e privadas para discutir o panorama atual, avanços e perspectivas do uso de drones na pulverização e no controle biológico das lavouras. Esses veículos, já largamente empregados na agricultura para detectar pragas e doenças, entre outras, vem ganhando cada vez mais espaço na aplicação de defensivos pelas vantagens que oferecem. Uma delas é a facilidade de sobrevoar áreas de difícil acesso.

O debate, a partir das 14 horas, é uma iniciativa que envolve o MundoGeo, a Embrapa Instrumentação (São Carlos – SP), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), ALSV Agro Drone Pulverização, SarDrones e SkyWorks. A moderação será realizada por Emerson Granemann, fundador e CEO do MundoGeo.

Para Lúcio André de Castro Jorge, pesquisador da Embrapa Instrumentação, o uso de drones para a pulverização de defensivos agrícolas em lavouras é uma nova opção que começa a ter seu uso intensificado na agricultura. Geralmente o trabalho é realizado com pulverizador de arrasto ou autopropelido, com avião agrícola ou ainda com pulverizador costal, em casos de pequenas propriedades ou áreas experimentais.

Mas os veículos aéreos não tripulados apresentam algumas vantagens em relação às ferramentas tradicionais. “Com esses veículos de pequeno porte é possível sobrevoar áreas de difícil acesso, realizar pulverização localizada em locais com falha de controle, não causar o amassamento da cultura, e o tempo de exposição do aplicador é menor”, esclarece o pesquisador.

No entanto, sendo especialista em processamento de imagens aéreas captadas por drones, ele lembra que essa tecnologia ainda carece de resultados de pesquisa sobre as metodologias adequadas de avaliação, a qualidade técnica das pulverizações, as diferentes aplicabilidades, assim como as vantagens e desvantagens em relação às tecnologias já utilizadas.

“Na Embrapa tem sido feito um esforço para testar o uso de drone na pulverização de produtos fitossanitários em sistema com delineamento de pesquisa e sistema semelhante a áreas de produção comercial. A proposta é apresentar a viabilidade prática e os parâmetros técnicos para o controle eficiente de plantas daninhas, insetos e doenças nas culturas avaliando também o custo operacional quando comparado com a pulverização com outras tecnologias”, afirma Castro Jorge.

Fonte: Embrapa

Postado em 21 de julho de 2020
Classificados