(84) 99828-4059
Detran - FEv-22

Energia solar já gera uma Itaipu no Brasil

Foto: Pexels

A geração de energia solar no Brasil acaba de ultrapassar a marca de 14 gigawatts (GW) de potência, uma capacidade equivalente à da usina hidrelétrica de Itaipu, segunda maior do mundo e maior das Américas.

É o que revela um mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR).

De acordo com Rodrigo Sauaia, CEO da ABSOLAR, 2022 é o melhor ano da energia solar no Brasil na última década.

“Do final de 2021 para outubro deste ano, a geração própria de energia solar saltou de 8,4 GW para 14 GW de potência instalada, um crescimento 66,7%”, revela Sauaia.

O setor também registrou cerca de R$ 76,7 bilhões em novos investimentos, um aumento de 80,9% em relação ao ano passado, que geraram mais de 420 mil empregos e uma arrecadação de R$ 17,9 bilhões.

Segundo a Associação, o país possui mais de 1,3 milhão de sistemas solares fotovoltaicos conectados à rede, atendendo mais de 1,7 milhão de unidades consumidoras em 5.509 municípios.

Os estados líderes em potência instalada são Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Santa Catarina, respectivamente.

Apesar de estar em quinto lugar no ranking dos estados, a capital catarinense lidera o ranking municipal de geração própria de energia solar em telhados, fachadas e pequenos terrenos no Brasil.

Conforme a ABSOLAR, Florianópolis possui mais de 21,5 mil sistemas instalados em residências, empresas e propriedades rurais, registrando 232 megawatts (MW) de potência, à frente da segunda colocada, Brasília, com 159 MW.

No Brasil, os consumidores residenciais aparecem no topo da lista de instalações solares, com 78,8% das conexões.

Em seguida, vem os pequenos negócios dos setores de comércio e serviços (11,4%), consumidores rurais (7,9%), indústrias (1,7%), poder público (0,3%) e outros tipos, como serviços públicos (0,02%) e iluminação pública (0,005%).

Baguete

Postado em 27 de outubro de 2022
Classificados