(84) 98867-6113

No Banner to display

Projeto Tamar solta 50 filhotes de tartarugas em praia do litoral Sul do RN

Foto: Caroline Macedo

O Projeto Tamar soltou nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (10) cerca de 50 filhotes de tartarugas-de-pente na Praia das Minas, na cidade de Tibau do Sul, no litoral Sul do Rio Grande do Norte.

O local escolhido se deveu porque a Praia das Minas está inserida na Área de Proteção Ambiental Bonfim-Guaraíra (APABG), uma Unidade de Conservação Estadual administrada pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema).

No litoral do Rio Grande do Norte, essa é uma das praias que mais atrai as tartarugas, que vão ao local realizar a desova e, posteriormente, o nascimento dos filhotes, quando chega o período certo para eclosão dos ovos.

O pesquisador e membro do Projeto Tamar Eduardo Lima explica que para as tartarugas escolherem áreas favoráveis à desova, elas consideram condições como áreas pouco habitadas, umidade, textura da areia e temperatura, para poderem ter o máximo de geração de filhotes.

A tartaruga-de-pente é criticamente ameaçada de extinção, segundo explicou o Idema.

A Praia das Minas faz parte da maior área de ninhos de tartaruga-de-pente do litoral potiguar, considerado uma área de estudo integral.

A faixa que compreende os municípios de Senador Georgino Avelino, Tibau do Sul, Baía Formosa e Nísia Floresta é a região de maior incidência de desova de tartaruga do Atlântico Sul, segundo o pesquisador.

“Essa área sofre muito com o tráfego de veículos, gerando um grande problema nesse processo de conservação da espécie. Fazemos um pedido para a preservação dessa área e para muitas outras onde ocorre desova de tartaruga”, falou Eduardo.

“De maneira bastante impensada, algumas pessoas pegam os tubos – fixados na areia para identificação de ninho, para apoiar varas de pescar, fazer trave de futebol e pendurar sacolas. É realmente triste ver que muita gente não se importa e não pensa que toda ação produz uma reação, interferindo diretamente na manutenção do ecossistema”, relatou.

g1

Postado em 11 de março de 2022

No Banner to display