(84) 99828-4059
Classificados Topo

RN lidera produção de energia eólica no Brasil e projeta ampliar parques nos próximos anos

 Foto: Divulgação

O Rio Grande do Norte é o estado líder em produção de energia eólica no Brasil. A força dos ventos impulsiona aerogeradores gigantes, que cortam os céus do litoral ao sertão potiguar.

A produção local, de todos os parques do estado, está integrada ao sistema interligado nacional, que é o sistema de produção e transmissão de energia elétrica do país, que escoa a produção de acordo com as demandas de cada região.

Em operação desde 2014, o complexo eólico “Campos dos Ventos”, em João Câmara, no interior do Rio Grande do Norte, foi o primeiro parque de uma das empresas que mais investiram em parques eólicos no estado, e uma das maiores companhias do segmento de energia renovável do país, que tem sede em Campinas (SP).

Aqui no estado, a companhia construiu 423 turbinas eólicas em 33 parques, uma capacidade instalada para gerar 840 megawatts de energia. Já são 250 empregos criados em cidades como João Câmara, Parazinho, Touros, São Miguel do Gostoso e Baía Formosa.

Nesta semana executivos da empresa inauguraram um escritório local em Natal, demonstrando intenção de continuar investindo no estado, que tem tudo que é necessário para produzir energia limpa, não-poluente.

“O estado do Rio Grande do Norte é um estado fundamental, estratégico pro Brasil. O que atrai investimento e vai continuar atraindo é o potencial de vento. Então a gente tem vento o ano inteiro, tem muito bem definido os períodos de vento, o que facilita a gente planejar pra poder gerar energia limpa”, explicou o diretor de operação da CPFL Renováveis, Francisco Galvão.

“Em algum momento do ano, nós do RN produzimos mais do que precisamos. Então essa energia que sobra, vamos dizer assim, pode ser consumida em outro estado. Só que tem outra época do ano que o que a gente produz não é suficiente, então a gente acaba consumindo energia que vem de outras regiões”.

g1

Postado em 21 de novembro de 2022
Classificados