(84) 98867-6113

No Banner to display

Tecnologia mapeia níveis de CO2 no solo e gera oportunidade de negócios

Uma startup brasileira anunciou o mapeamento genético do solo brasileiro. O projeto, chamado de Agro Bioma Brasil, prevê a avaliação de cinco milhões de hectares no país, com investimento de R$ 29 milhões ao longo de três anos.

Para Leonardo Gomes, sócio-fundador da Biome4all, o objetivo do levantamento é trazer informações sobre o ganho de eficiência e produtividade agrícola, por meio de estratégias de administração de insumos baseadas no conhecimento da genética do solo. “O mapeamento genético nada mais é do que coletar uma amostra do solo, passar por uma análise laboratorial (para extração do DNA) e identificar fungos, bactérias e todas as espécies presentes nas frações analisadas”, detalhou.

esultados esperados

Entre os resultados esperados estão: conhecimento dos custos de produção em relação a safras anteriores; comparativo entre as estratégias de manejo com ciclos anteriores; mensuração dos ganhos de produtividade versus safras anteriores; compreensão sobre as mudanças na biodiversidade do solo e mensuração do potencial genético do solo para fixar carbono e nitrogênio.

Estácio Odisi, sócio-fundador da Biome4all, acrescenta que uma das análises é sobre os grupos que fixam carbono e nitrogênio. “Esses dados podem gerar um viés para a campanha de carbono”, argumentou.

O produtor rural Paulo Bannwart, de Boa Esperança do Sul, faz parte dos produtores que estão apostando na tecnologia. “É uma ferramenta a mais para mensurarmos a atividade biológica do solo e aplicar os manejos necessários”.

Funcionamento

O funcionamento da tecnologia é simples: na etapa de planejamento, as consultorias selecionam as áreas que serão estudadas. Em seguida, as amostras são coletadas. Na próxima etapa, passam por análise onde cada detalhe é revelado através de um relatório final. Assim, o produtor o manejo indicado para aquela região e como o ciclo produtivo pode ser ainda melhor.

O consultor da Apagri, Luis Fernando Zanuncio, ressalta que a tecnologia tem importância fundamental para o produtor rural. “Os produtores atrelam a parte física e química do solo. Eles esquecem da parte biológica. É necessário unir estes três pilares”, afirmou.

O projeto pretende expandir a área de atuação para países da América do Sul, Estados Unidos e Europa. Para participar, os produtores podem se inscrever no site do projeto. O Agro Bioma Brasil conta com a parceria de 110 empresas de consultoria, que juntas vão promover a análise de solo de 55 culturas. São essas consultorias que financiam a iniciativa ao lado de um investidor da Biome4All.

Canal Rural

Postado em 20 de janeiro de 2022

No Banner to display